CEAPortlet

Centro de Educação Ambiental

Avarias

Avarias

gestprocessosonline.JPG

GestProcessos Online

 

Atendimento on-line

Balcão Virtual

Nos passados dias 24 e 25 de fevereiro, realizaram-se no concelho de Esposende ações de controle de plantas invasoras, que envolveram a participação de mais de duas centenas de voluntários.

Estas ações foram promovidas pelo Município de EsposendeEsposende Ambiente e Parque Natural do Litoral Norte (PNLN), em estreita colaboração com as associações Rio Neiva e Assobio, e os Sapadores Florestais da Associação Florestal do Cávado. Pretendeu-se alertar para os efeitos nocivos das espécies invasoras, que prejudicam os recursos naturais de um ecossistema, ameaçando a utilização humana desses recursos. Esta problemática tem, assim, um forte impacto ao nível ecológico e económico, sendo considerada uma das principais causas de ameaça à estabilidade dos ecossistemas.

Estas ações serviram também para divulgar o processo de Cogestão do PNLN e fomentar o voluntariado ambiental junto dos munícipes, enquadrando-se no cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU, nomeadamente no que se refere ao ODS 15- Proteger a Vida Terrestre e ODS 17 - Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

No dia 24, foram efetuadas várias intervenções, desde Apúlia a Antas, que contaram com a participação da comunidade educativa, nomeadamente da Escola Básica de Guilheta e 9 turmas pertencentes às 5 ECO-Escolas concelhias: Escolas Básicas de Apúlia e de Forjães, António Correia de Oliveira, António Rodrigues Sampaio e Escola Profissional de Esposende. Cerca de 170 alunos e professores deram, deste modo, o seu precioso contributo para reduzir a presença de plantas invasoras na área protegida do Parque Natural do Litoral Norte, com particular enfoque na remoção de manchas de chorão-das-praias, mitigando, assim, as consequências nefastas para a biodiversidade local.

No dia 25, decorreu uma ação de voluntariado dirigida à comunidade em geral, na Praia da Redonda, em Marinhas e na Foz do Neiva, em Antas. Apesar do frio que se fazia sentir e da ameaça de chuva, cerca de meia centena de voluntários procederam ao arranque de Carpobrotus edulis, vulgarmente conhecido por chorão-das-praias, contribuindo para controlar a propagação de plantas exótica com carácter invasor, uma das principais ameaças à biodiversidade autóctone. A intervenção contemplou também uma mancha na margem esquerda do estuário do Cávado, em Fão, com o arranque de espécimes jovens de Acacia longifólia, bem como o corte e descasque de exemplares de maiores dimensões.

 

Atendimento
   
Leituras
Leituras
   
CoGestão do PNLN
   
Biorresíduos
   
A sua opinião é importante
imagemPortlet copy.png
   
Recrutamento
   
CEA em Blog
imagemPortlet
Desafios
dia a dia
Desafio dia a dia
   
Qualidade da água
   
Linha da Reciclagem
   
Faturação
Eletrónica
   
Praias
   
QUIZ da Água
   
SUMAKids
   
TransFORMAR
   
E-MOVE
   
Empreitadas
   
E|Ribeiras